Com o passar do tempo, nosso corpo sofre alterações e o corpo feminino, principalmente, é muito afetado com essas mudanças. Gravidez, falta de exercício, ganha e perda de peso excessivo ajuda a deixar a barriga flácida. Isso causa um desconforto para a mulher, que busca maneiras de resolver esse problema.

Algumas recomendações são indicadas para combater a flacidez, a as mais indicadas são uma rotina de exercícios e alimentação balanceada. Em alguns casos mais drásticos, a demolipectomia abdominal pode ser indicada.

Como a cirurgia é realizada?

A cirurgia da dermolipectomia abdominal é realizada com anestesia geral, e tem duração geralmente de três horas, mas depende de cada paciente. A região manipulada é acima dos pelos pubianos e a cicatriz ficará imperceptível com o passar do tempo.

Uma lipoaspiração pode ser associada para retirar o excesso de gordura e deixar o resultado esperado. O seu umbigo será transplantado e alguns casos, poderá ser remodelado. Haverá uma redução do peso corporal, mas isso varia de cada paciente.

Indicação para a cirurgia de dermolipectomia abdominal

Essa cirurgia é indicada para pacientes que possuem excesso de gordura e grande flacidez na área abdominal, incluindo barriga e cintura. Isso pode acontecer devido à gravidez, ou uma grande perda de peso, como após de uma cirurgia bariátrica.

Também é indicado para pessoas que possuem predisposição genética para flacidez e mulheres que não se sentem a vontade de usar biquíni ou blusas mais justas, para não marcar a área. A dermolipectomia abdominal devolve a segurança para as mulheres, que atualmente, deixam de fazer algo por conta da aparência do seu corpo.

Pós-operatório

O uso de cinta de compressão é indicado após a dermolipectomia abdominal, e é importante utilizar corretamente, de acordo com as recomendações do seu médico, para garantir o resultado desejado. Sessões de drenagem linfática podem ajudar na recuperação.

O curativo de contenção deve ser mantido e a paciente deverá evitar agachar-se e realizar movimentos bruscos. O banho completo só poderá ser realizado após três dias após a cirurgia. O inchaço, hematomas e alteração na sensibilidade são normais e deverão passar com o tempo.

Após seis meses a um ano, os tecidos voltarão ao seu lugar e amadurecerão a cicatriz, mostrando o resultado definitivo da cicatriz aparecerá. Uma alimentação saudável é recomendada para ajudar na recuperação.

Além disso, deve-se evitar exposição ao sol por três meses. Exercícios físicos leves são liberados após um mês e exercícios mais intensos costumam ser liberados após três meses. É importante ressaltar que essas são as recomendações mais comuns, mas cada paciente deverá respeitar as recomendações do seu médico, pois cada corpo se recupera de maneira diferente.

Ficou com dúvidas a respeito dessa cirurgia e deseja ter mais informações? Agende uma consulta com o Dr. Garabet para saber mais!