De acordo a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética, o número de brasileiros que recorre às intervenções estéticas cresce a cada ano — e dentre os motivos para isso está o avanço da tecnologia, que permite tratamentos mais rápidos e menos invasivos.

Dados levantados pelo último Censo atualizado da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), o Censo 2016, revelaram, por exemplo, que a procura por procedimentos estéticos não cirúrgicos aumentou 390% entre os anos de 2014 e 2016.

Vale salientar, também, que a procura por tratamentos estéticos faciais sobe ainda mais quando chega o inverno. O que acontece é que a exposição ao sol, em geral, é nociva para a pele, enquanto as temperaturas mais amenas da estação do frio facilitam a recuperação do paciente.

Os benefícios dos procedimentos estéticos faciais pouco invasivos

Os tratamentos estéticos não invasivos — aqueles que não envolvem nenhum tipo de operação cirúrgica — estão sendo cada vez mais procurados por quem deseja uma pele mais rejuvenescida, com menos rugas e marcas de expressão, por exemplo; ou por quem quer fazer a correção de algumas assimetrias, para deixar o rosto mais harmônico e de forma natural.

Isso porque, dentre as principais vantagens desse tipo de procedimento, estão os fatos de que eles:

  • Em geral, são menos complexos que os tratamentos que envolvem algum tipo de cirurgia, ou seja, são mais práticos e rápidos;
  • Podem ser feitos diretamente no consultório médico, sem a necessidade de uma internação hospitalar (no entanto, é imprescindível que sejam indicados, orientados e realizados por profissionais capacitados);
  • Têm um tempo de recuperação muito menor, dando ao paciente a oportunidade de voltar à sua rotina rapidamente; e, ainda
  • Costumam ter valor menor que os procedimentos cirúrgicos.

Mas, que tratamentos são esses? A seguir, falaremos de alguns deles. Acompanhe!

Seis procedimentos estéticos faciais que são pouco invasivos

Dentre os principais tratamentos estéticos faciais não cirúrgicos, estão:

1) A toxina botulínica

Popularmente conhecida como botox, a toxina botulínica é usada para tratar rugas e marcas de expressão — principalmente as que estão localizadas entre as sobrancelhas e em torno dos olhos e lábios. A substância é aplicada diretamente nos músculos da região que o paciente deseja tratar.

2) O preenchimento facial com ácido hialurônico 

O preenchimento facial consiste na aplicação de alguma substâncias no organismo — como, por exemplo, o ácido hialurônico — com o propósito de aumentar lábios finos, melhorar os contornos faciais, eliminar ou suavizar rugas e sulcos, dar volume às áreas do rosto já afetadas pela flacidez e, até mesmo, melhorar a aparência de cicatrizes.

Nesse sentido, pode-se também citar o chamado MD Codes, um método inovador na aplicação do ácido hialurônico, em que se identifica pontos específicos em cada região do rosto para serem preenchidos com o produto.

3) Silhouette

A chamada sutura Silhouette refere-se a um produto (um fio com efeito tensor imediato, produzido com ácido polilático que é inserido entre a pele e a camada de gordura do rosto) utilizado com o objetivo de estimular a formação de colágeno no organismo.

A substância é capaz de redefinir os contornos da face, bem como recuperar os volumes perdidos, e reduzir a flacidez e as rugas.

4) O microagulhamento 

O microagulhamento — que é eficaz para remover cicatrizes, disfarçar manchas, rugas ou linhas de expressão — também é uma técnica que objetiva a formação de novas fibras de colágeno e elastina no organismo. Ela é realizada com microagulhas esterilizadas aderidas a um rolo e inseridas na pele,  favorecendo a estimulação da regeneração celular, por meio do processo de cicatrização e multiplicação de células-tronco.

5) Sculptra

A intenção com o Sculptra é suavizar os sinais do envelhecimento e melhorar a flacidez do rosto. Essa substância, que também é conhecida como ácido poli-L-lático, é mais uma que, ao ser absorvida pela camada profunda da pele, estimula a produção de fibras de colágeno no organismo.

O procedimento é realizado através de injeções do produto em camadas profundas da pele, nas áreas desejadas.

6) Os fios de sustentação PDO 

Esse procedimento estético facial é baseado na inserção de fios compostos de Polidioxanona (PDO) em pontos específicos da pele. A ideia, com os fios de sustentação PDO, é promover a suspensão e reposicionamento, principalmente, dos tecidos da face e do pescoço — os fios são usados com o objetivo de combater a tendência natural dos tecidos do rosto de deslocarem-se para trás e para baixo.

Vale reforçar, entretanto, que é crucial — tanto para a saúde do paciente quanto para os sucesso dos procedimentos estéticos, mesmo para os pouco invasivos — que tudo seja indicado, orientado e feito por profissionais qualificados e em locais bem equipados para  realização das técnicas.

Neste artigo enfocamos os principais procedimentos faciais não invasivos disponíveis para você ficar bem com o espelho. Se desejar mais informações, entre em contato com Clínica Dr. Garabet — tire todas as suas dúvidas, ou marque a sua consulta!