Ao longo da vida do corpo da mulher, sofre, por diversas coisas, que contribuem diretamente para uma flacidez. A falta de exercício físico, gravidez, ganhar e perder peso, entre outros, são algumas das razões para as regiões afiliadas. O que causa um desconforto e descontentamento para a mulher e por mais bem resolvida que ela seja, isso pode atribuir a sua autoestima diretamente.

Uma vez que o produto é mais difícil e mais superficial, como evitar dietas drásticas, exceto excessivo ao sol, evitar fumar, seguir uma boa rotina de exercícios e beber muita água.

Porém, em alguns casos, como uma elasticidade da pele dos braços e coxas, uma recuperação pode ser um processo árduo e de longo prazo, muitas vezes impossíveis de obter o resultado sonhado apenas com exercícios e alimentação, assim como indicar uma dermolipectomia.

Como é feita uma cirurgia?

A cirurgia feita na região do braço depende do nível de flacidez, se para intensa a incisão vai desde como axilas estendendo-se até quase o cotovelo. Agora, é um flacidez para o leve, em alguns casos mais raros, o fuso pode ser feito para o axila.


(Fonte Imagem: Universo Feminino)

Já o procedimento realizado na região das coxas, pode variar conforme o biotipo do paciente e o volume de gordura localizada. O lifting é realizado através das incisões de flacidez presentes na face interna, iniciando a cirurgia pela incisão ao longo da marcação feita próximo à virilha. O excesso de pele é ressecado, as incisões são suturadas e caso seja necessário, são colocados drenos.

Feita para retirar o excesso de gordura e pele dos locais desejados, o procedimento pode ser feito isolado ou associado à lipoaspiração, muitas vezes oferecendo um melhor resultado em ambas regiões do corpo. A cirurgia é feita com anestesia geral e dura em média em torno de 2-3 horas, mas vai depender do caso de cada paciente.

Indicação para a cirurgia de dermolipectomia

A dermolipectomia é indicada para as pacientes que possuem uma grande flacidez e excesso de gordura nos braços e coxas, geralmente causada por perda de peso significante (como após uma cirurgia bariátrica e reeducação alimentar) ou para aquelas que têm predisposição genética para a flacidez. Mulheres que não se sentem a vontade em vestir uma saia ou short, em virtude das coxas ou que não usam blusas de manga curta por causa do famoso “tchauzinho”, talvez devam considerar a possibilidade de se sentir melhor com a cirurgia plástica.

Resultados da dermolipectomia e pós-operatório

Nos primeiros dias da dermolipectomia de coxa, é imprescindível o uso de cintas de compressão, além de realizar as sessões de drenagem linfática. A paciente deve manter o curativo de  contenção e o banho completo só pode ser realizado após três dias, também deve evitar agachar e abrir muito as pernas. Nos primeiros meses é indicado que a paciente continue com a drenagem linfática para ajudar alcançar o resultado desejado, os edemas (inchaços) devem continuar, mas vão sumir espontaneamente.  O resultado definitivo ocorre após os 6 meses do procedimento cirúrgico, é o tempo ideal para que os tecidos voltem ao lugar e para que aconteça o amadurecimento da cicatriz.

Na dermolipectomia do braço a paciente não deve se preocupar com os edemas e alterações da sensibilidade durante os primeiros dias após a cirurgia. É recomendado que a paciente evite movimentos bruscos, tenha uma boa alimentação e que se for indicado pelo cirurgião, utilize a meia elástica. As cicatrizes evoluem e mudam de aspecto a cada mês, de acordo com as características individuais de cada paciente. O resultado final só é visto após os 6-9 meses do procedimento cirúrgico.

A exposição ao sol deve ser evitada por três meses após as cirurgias e após esse período, é imprescindível que a paciente utilize filtro solar. Os exercícios físicos leves são liberados após um mês da intervenção cirúrgica, os mais intensos poderão ser realizados após três meses, mas somente com autorização do médico.

Se interessou pelo assunto? Agende uma consulta com o Dr. Garabet e tire suas dúvidas.