A crise econômica dos últimos anos não afetou o segmento das cirurgias plásticas. De acordo com dados do mais recente relatório da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica (ISAPS), o Brasil ficou com o segundo lugar no pódio entre os países que mais fazem plásticas no mundo, com 2.324.245 procedimentos (10,7% do total no mundo), atrás apenas dos EUA que teve 4.042.610 (18,6%).

Um dado curioso é que o Brasil lidera o número de cirurgias plásticas de pálpebras, com 143.165 procedimentos, o que representa 11,3% do registro mundial. Segundo o último senso realizado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), a operação mais realizada em terras tupiniquins é o implante de silicone nas mamas, com 288.597 registros. A idade das pessoas que mais fizeram procedimentos é de 19 a 35 anos.

Confira a seguir quais são as cirurgias plásticas mais comuns no Brasil, conforme dados do censo de 2016 da SBCP:

1º – Silicone nas mamas

Esse procedimento que utiliza implantes de silicone para aumentar aos seios ou restaurar o volume mamário perdido em situações como emagrecimento ou gravidez, é o mais procurado no Brasil.

O implante pode ser feito por meio de um corte na auréola, atravessando o mamilo, pela axila ou no sulco da mama. A escolha varia com o tipo de implante, anatomia da paciente, preferência do cirurgião e o volume desejado. Os cortes são feitos em áreas discretas para minimizar a visibilidade de cicatrizes. A anestesia pode ser local com sedação ou geral.

  • Pré-operatório: exames de sangue, raio-x do tórax, eletrocardiograma, risco cirúrgico, mamografia (para mulheres acima de 40 anos) e ultrassonografia (para as com menos de 40 anos).
  • Pós-operatório: A paciente não deve realizar atividades que exijam força excessiva, erguer os braços a cima da cabeça, à escoriação ou ao movimento durante o tempo de cicatrização.

 2º – Lipoaspiração

A conhecida lipo é a cirurgia que retira o excesso de gordura do contorno corporal com um cano de sucção.

No procedimento, é realizada uma anestesia local com sedação, peridural ou anestesia geral. Após, são realizadas pequenas incisões. Uma solução líquida estéril é injetada para facilitar o procedimento. Na sequência, uma cânula é inserida para aspirar a gordura.

O tempo de internação varia de 12 a 24 horas, variando conforme o tamanho da área a ser lipoaspirada.

  • Pré-operatório: é necessário fazer exames de sangue, raio-x do tórax, eletrocardiograma e risco cirúrgico.
  • Pós-operatório: o paciente pode sentir dor na região, mas há analgésicos específicos para eliminar esta sensação. As atividades físicas serão liberadas após o terceiro ou quinto dia da operação. O uso de cinta e a drenagem linfática manual são indispensáveis.

3º – Abdominoplastia

Esse processo remove o excesso de pele e de gordura, resultando em um abdômen mais suave e tonificado, pois, na maioria dos casos, restaura os músculos enfraquecidos ou separados.

Para a abdominoplastia, retira-se todo o excesso de pele e gordura da área abaixo do umbigo até o púbis. Os músculos separados são reaproximados através de suturas. A cirurgia pode durar de duas a três horas e a anestesia pode ser peridural com sedação ou geral.

  • Pré-operatório: exames de sangue, raio-x do tórax, eletrocardiograma e risco cirúrgico. É necessária internação de 24 a 48 horas.
  • Pós-operatório: a pessoa pode ser envolta em uma bandagem e malha elástica para minimizar o inchaço e sustentar os novos contornos do abdômen. Nos primeiros meses o abdômen fica sensível e a pessoa deve andar curvada para não forçar os músculos.

4º – Mastopexia

Conhecida como “lifting de mama”, a Mastopexia reposiciona a aréola e o tecido da mama com a remoção do excesso de pele. O resultado é uma mama firme e com aparência mais jovem.

No procedimento, o tecido mamário subjacente é levantado, melhorando a firmeza e o contorno da mama. Em seguida, reposicionam-se o mamilo e a aréola e depois o excesso de pele é removido para compensar a perda de elasticidade.

  • Pré-operatório: exames de sangue, raio-x do tórax, eletrocardiograma, risco cirúrgico, mamografia (para mulheres acima de 40 anos) e ultrassonografia (para as com menos de 40 anos).
  • Pós-operatório: será necessário usar um sutiã ou bandagem elástica para sustentar a mama e reduzir o inchaço. Os resultados nos seios são imediatamente visíveis.

5º – Redução das mamas

Nesse caso, são removidos os excessos de gordura, do tecido glandular e da pele para atingir um tamanho de mama proporcional ao corpo.

O mamilo tem seu suprimento de sangue original mantido, mas é reposicionado. A aréola pode ser reduzida por meio da remoção de pele no entorno. Já o tecido mamário é reduzido, levantado e remodelado.

  • Pré-operatório: exames de sangue, raio-x do tórax, eletrocardiograma, risco cirúrgico, mamografia (para mulheres acima de 40 anos) e ultrassonografia (para as com menos de 40 anos).
  • Pós-operatório: como na mastopexia será necessário usar um sutiã ou bandagem elástica para sustentar a mama e reduzir o inchaço. Os resultados nos seios são imediatamente visíveis.

6º – Blefaroplastia (Pálpebras)

A blefaroplastia corrige as pálpebras caídas e o excesso de pele abaixo dos olhos, resultando uma aparência mais jovem e descansada.

Retira-se o excesso de pele das pálpebras superiores e as bolsas de gordura da região abaixo dos olhos. O procedimento dura cerca de uma hora com anestesia local ou geral. As cicatrizes são imperceptíveis e ficam próximas aos cílios ou na parte interna do olho.

  • Pré-operatório: exames de sangue, raio-x do tórax, eletrocardiograma e risco cirúrgico.
  • Pós-operatório: será necessário usar compressas com soro fisiológico gelado e pomadas lubrificantes para auxiliar na recuperação e diminuir o inchaço.

Também ficou interessado em entrar na estatística e realizar uma cirurgia plástica? Agende agora a sua avaliação com o Drº Garabet!

Confira tudo o que você precisa saber antes de ir para a cirurgia e ter os melhores resultados!!