Muitas pessoas sofrem por excesso de suor principalmente em áreas como axilas, palma das mãos e pés, condição denominada hiperidrose.

A hiperidrose acomete tanto homens quanto mulheres e é mais comum na vida adulta, após os 18 anos. Ela pode trazer muito constrangimento a situações rotineiras, como um simples apertar de mão quando a palma está excessivamente suada ou levantar os braços quando a área das axilas está visivelmente molhada.

Essa condição acomete 2,8% da população e, quando em excesso, traz grande incômodo ao dia-a-dia de quem a possui, fazendo com que médicos procurem soluções para o quadro. Um dos tratamentos que vem emergindo muito rapidamente, devido a sua simplicidade e eficácia é o uso da toxina botulínica.

Aqui vamos abordar algumas opções terapêuticas e como são realizadas.

Qual a causa da hiperidrose?

O suor é um mecanismo natural do corpo para manter a temperatura em situações de calor intenso ou exercício físico, e faz parte da regulação intrínseca do corpo humano. Contudo, pessoas com hiperidrose parecem ter as glândulas sudoríparas super ativadas, fazendo com que mesmo em repouso e situações rotineiras ocorra produção excessiva de suor.

Quando o suor em excesso afeta as mãos, pés e axilas, é chamado de hiperidrose primária ou focal, e o motivo dessa super ativação das glândulas não é bem estabelecido.

Contudo a hiperidrose também pode ocorrer secundariamente a outras doenças, como hipertireoidismo, Parkinson, acromegalia, condições relacionadas à ansiedade, entre outros.

O mais comum é a hiperidrose primária, portanto abordaremos aqui as principais terapêuticas para ela.

Quais os possíveis tratamentos?

Existem duas grandes linhas de tratamento para a hiperidrose: simpatectomia e o uso da toxina botulínica.

A primeira é a mais radical e definitiva, e consiste em seccionar a cadeia de nervos simpáticos, os quais são responsáveis por estimular a produção de suor. Apesar de definitiva, existem vários problemas em relação a esse procedimento. Primeiramente, é um procedimento cirúrgico, portanto envolve os riscos de qualquer cirurgia invasiva. Além disso, a destruição da cadeia simpática causará a ausência de suor em todo o membro, por exemplo, se a queixa é de hiperidrose na mão, todo o braço perderá a inervação simpática e deixará de suar. Outro grande problema é a ocorrência do fenômeno de hiperidrose compensatória, que consiste no aparecimento de suor excessivo em outras partes do corpo, como costas e abdome, apenas levando o problema a outra localização.

A segunda opção, que vem emergindo muito nos últimos tempos, é a utilização da toxina botulínica. Que consiste na aplicação local dessa substância, inibindo a produção de suor apenas no lugar afetado. A toxina botulínica bloqueia os receptores de Acetilcolina, um neurotransmissor responsável por estimular a produção de suor. Assim, quando aplicada localmente, ela deixa as glândulas sudoríparas continuamente inibidas, diminuindo a produção local de suor.

Como é feita a aplicação?

A aplicação da toxina botulínica é feita no próprio consultório médico, por ser um procedimento minimamente invasivo que só exige a substância, seringa e agulha para aplicação. Não é necessário o uso de anestesia geral ou sedação durante o procedimento e o paciente pode ir para casa logo após realizado.

Existem contra-indicações?

Para o tratamento da hiperidrose, a toxina botulínica não deve ser usada em grávidas, portadores de doenças neuromusculares e pessoas em uso de aminoglicosídeos (uma classe específica de antibióticos).

Para o restante da população, a terapêutica com toxina botulínica é um procedimento simples, eficaz e sem grandes riscos, já que é minimamente invasivo. Contudo, é muito importante que um profissional qualificado e com experiência seja escolhido para realizar tal procedimento, já que em mãos descuidadas ele pode trazer complicações.

Qual o tempo de início e duração do efeito?

A resposta à aplicação é notada a partir de 72 horas após o procedimento, com efeito crescente até aproximadamente o 15dia, quando ele atinge seu platô.

O efeito da toxina botulínica não é permanente, durando cerca de 4 a 8 meses, quando o corpo neutraliza o efeito dessa substância. Ela pode ser reaplicada após esse período, para a continuidade dos resultados.

Por fim, o uso da toxina botulínica para o tratamento de hiperidrose é uma técnica que tem ganhado muitos adeptos devido à sua baixa complexidade e pouquíssimos riscos de complicação. Uma solução descomplicada para um problema simples.

Ficou interessado? Agende agora uma consulta com Dr Garabet!

 

Quer saber mais sobre os processos que fazemos na clínica?
Então tire aqui todas as suas dúvidas sobre depilação a laser!