A gestação é o momento da vida no qual mais ocorre mudanças rápidas em todo o corpo da mulher, sejam elas hormonais ou, claro, físicas.

Além da barriga, as mamas também passam por grandes transformações, não apenas durante os nove meses de gestação, mas durante todo o aleitamento da criança.

Por estímulos hormonais, especialmente o de um hormônio chamado prolactina, as glândulas mamárias se proliferam e aumentam de tamanho para que seja permitida a produção de leite. Isso ocasiona um grande e rápido aumento de volume dos seios, muitas vezes colocando à prova a sustentação oferecida pela pele. Passado o período de amamentação, cessa o estímulo da prolactina e as glândulas mamárias voltam ao seu tamanho habitual.

Todo esse processo pode levar a mudanças nos seios em relação ao período anterior à gravidez, com perda da sustentação e aquisição de mamas mais flácidas e “caídas”. Nesse período, é comum que a mulher fique insatisfeita com sua imagem e autoestima e busque métodos para corrigir os incômodos que a mudança de seu padrão corporal trouxe.

  • Quanto tempo após a gestação posso realizar uma cirurgia?

O ideal é que se espere no mínimo de 6 meses após o nascimento para se submeter a um procedimento estético, já que o corpo leva certo tempo para voltar à sua fisiologia normal e é muito importante que a mãe conviva com o bebê sem restrições nos primeiros meses de sua vida.

Ainda assim, após esse período, é recomendado que procedimentos só sejam realizados quando a mulher estiver dentro de seu peso habitual, já que emagrecimento após a realização da cirurgia, especialmente no caso da prótese de silicone, pode comprometer os resultados esperados.

Além disso, é muito importante que a mulher já tenha cessado o processo de amamentação, por dois motivos: o primeiro, e mais evidente, é que o aleitamento não poderá mais ser realizado logo após a cirurgia. Outra razão é que a própria sucção da criança serve de estímulo para a proliferação das glândulas mamárias e produção de leite, portanto enquanto houver aleitamento, as mamas não estarão em seu tamanho habitual e ocorrerão mudanças após o procedimento que irão comprometer o resultado estético. Portanto, um período de 3 meses após o término da amamentação é recomendado.

  • Posso engravidar e amamentar novamente após colocação de prótese?

Sim. Tanto a prótese submuscular (abaixo do músculo peitoral) quanto a subglandular (abaixo das glândulas mamárias) não interferem na produção de leite caso uma nova gestação seja desejada.

Claro que, novamente, mudanças no corpo ocorrerão e o aspecto adquirido após o procedimento tende a não ser o mesmo após uma nova gestação e aleitamento.

  • Poderei cuidar de meu bebê no pós-operatório?

Essa é outra grande questão a ser levada em conta. É muito importante que a mãe conte com ajuda para cuidar de seu filho no período após a cirurgia, já que ela deverá permanecer por no mínimo 30 dias sem carregar peso ou realizar esforço físico, e isso inclui segurar a criança.

Aqui, deverá ser pesado na balança também a criação de vínculo mãe-bebê. Quanto mais tempo ela passar com seu filho nos primeiros meses, maior será o vínculo afetivo durante toda a vida. Por isso, se a mulher puder esperar mais do que o tempo mínimo necessário para a realização da cirurgia, melhor serão seus resultados, tanto físicos quanto emocionais.

Gestar e ter um bebê é um dos processos que melhor traduz a palavra mudança na vida de uma mulher. Sua imagem muda radicalmente, tanto no âmbito social, que passa de mulher a mãe, quanto no físico. Tantas mudanças podem trazer problemas em relação a seu retrato que, em meio a um novo dia a dia, uma nova rotina e um novo papel, geram conflitos com sua personalidade, autoestima e amor ao corpo.

A cirurgia plástica pode corrigir esses pequenos detalhes, mas com grandes impactos, aperfeiçoando e harmonizando o que não precisa ser mais uma preocupação em meio à grande reviravolta que a vida de uma nova mãe sofre.

Se identificou com a situação e está interessada em saber mais? Agende já uma consulta com o Dr. Garabet!